Citação

Amor sem fim

A cena é insólita – num campo aberto, homens correm para evitar uma tragédia:

“Corríamos em direção a quê? Superficialmente, para um balão. (…) Na base do balão, havia uma cesta com um menino dentro e, ao lado dela, agarrando-se por uma amarra, um homem necessitado de ajuda.”

Um desses homens era Joe, escritor de artigos científicos e ex-físico. Quando os gritos foram ouvidos, ele estava num piquenique com a amada, Clarissa, professora e crítica literária, que estivera longe dele havia seis semanas. O reencontro era para ser um dia memorável e prazeroso. Em vez disso, o evento deflagrou uma série de consequências para o casal.

A cooperação espontânea que se formou para segurar o balão, que insistia em voar sem direção, foi rompida pelo conflito entre altruísmo e egoísmo.

“E então, após uma breve batida do coração inundada de adrenalina, outra variável foi introduzida na equação: alguém largou seu cabo, e o balão e os que ainda pendiam dele foram erguidos mais alguns metros.”

O livro parece ir costurando as lembranças mais factuais deste acontecimento com sua influência nos sentimentos dos personagens. Para além da história do casal, há um amor obsessivo que surge de um outro homem que também segurava o balão – Jed, um desempregado que vive de herança. Seu fanatismo em Deus e sua fixação, perseguirá Joe até o fim.

O romance prende pelo suspense, desencadeado por esta obsessão, e amarra pelas diversas analogias entre o esforço para controlar o balão (cooperação, perseverança, altruísmo) e a jornada pessoal para amar e ser amado, e para refletir sobre suas próprias escolhas e o que pode ou não ser mudado na vida.

“Alguém disse eu, e a partir de então não havia nada a ganhar dizendo nós.”

 


Amor sem fimAmor sem fim
Enduring love
Ian McEwan

Em 2004, fizeram uma adaptação para o cinema chamada aqui no Brasil de Amor para sempre. Com Daniel Craig (007) e Samantha Morton (Terra de Sonhos) nos papéis principais.