Nota

Elas estão descontroladas

Uma flor fora do jardim

Uma flor fora do jardim

Deveria ser uma pessoa na política. Mas é pessoa-mulher na política. Querem te convencer de que pessoa-mulher é pessoa (só pessoa), que é gente, que recebe tratamento igual aquele que, não por acaso, existe em maior quantidade no ambiente político, a pessoa-homem. Mas eu cismei que não existe essa pessoa genérica.

Quando o homem é candidato e está acusando alguém publicamente de um crime, crime este que sequer foi julgado, qual xingamento lhe é dirigido? “O senhor é um caluniador!”. É uma palavra precisa: caluniar é acusar alguém de ter cometido um crime, sem que essa pessoa o tenha feito (ou ela até pode ser criminosa, mas não passou pelo processo legal que a “condene”).

Quando mulher é candidata, caluniadora não é a primeira palavra lembrada. No debate dos presidenciáveis exibido na televisão, certa candidata foi chamada de “leviana”, acusação que veio acompanhada com um dedo em riste. “Leviana” tem ampla gama de significados – volátil, frágil… Sinto o cheiro da condescendência no ar! Essa pessoa nunca é só “caluniadora” – ela tem que ser também frágil, inconsistente, quase que uma criança que não pode ser levada a sério, tem que ser… MULHER!

Mas… Tudo isso talvez seja uma teimosia infundada. Vamos mergulhar no mundo dos comentaristas de portal (não sei onde eles se reproduzem, só sei que são muitos). O que eles dizem a respeito da candidata pessoa-mulher que resolveu reagir ao insulto “leviana-dedo-em-riste”? Aí é que o crime ocorre: ela foi julgada como DESCONTROLADA. E ao candidato pessoa-homem nada acontece, feijoada.

Pessoalmente nunca vi esse adjetivo – descontrolada – ser usado contra homens que reagem a algum tipo de acusação política. Porque uma pessoa-homem descontrolado – veja – é apenas um homem. Talvez um homem ousado, vá lá. Corajoso por reagir a um insulto, talvez.

Agora vai procurar no dicionário o significado de mulher ousada. Vai lá. Ainda ando cismada: quando me chamam de descontrolada na política é porque sou corajosa ou ousada?